Guia Têxtil News
Cadastre seu e-mail para receber informações atualizadas sobre a cadeia têxtil.
Formato de Email:
Brasil, 28 de agosto de 2014
     

Indústria reitera confiança do empresariado na superação da crise

Imprimir E-mail
25 de maio de 2009
Presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro Neto, falou a empresários, na FIESC, que o momento é uma oportunidade para resolver problemas estruturais para alavancar setor industrial

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), deputado federal Armando Monteiro Neto, reiterou a confiança dos empresários brasileiros na superação da atual crise econômica e defendeu reformas estruturantes no setor econômico do país. Ele falou a empresários catarinenses durante a entrega da Ordem do Mérito Industrial, no segundo dia do Encontro Catarinense da Indústria, dia 22 de maio na FIESC.
Segundo Monteiro Neto, "o Brasil está fazendo a travessia da crise com um custo relativamente baixo" em relação aos demais países, apesar de, "em anos de crescimento, ter negligenciado uma agenda mais estruturante". Para o líder empresarial, a crise deve ser aproveitada para resolver os problemas que afetam diretamente a competitividade do país, como o excesso de burocracia, a falta de infraestrutura, o alto custo dos financiamentos e os entraves do sistema tributário. "Nosso desafio é criar uma agenda que seja uma ponte para o futuro. Precisamos desenvolver competências para um mundo cada vez mais exigente e aumentar nossa capacidade de inovação", completou.

Sobre Santa Catarina, Monteiro Neto comentou os números apresentados pelo governador Luiz Henrique da Silveira, que colocam o estado entre os mais desenvolvidos do país. "É um orgulho muito grande para os brasileiros saber que Santa Catarina tem uma constelação de indicadores que são uma referência nesse Brasil moderno", afirmou.

A entrega da Ordem do Mérito Industrial de Santa Catarina e da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do Mérito Sindical de Santa Catarina homenageou empresários e entidades que se destacaram pelas suas contribuições no desenvolvimento do estado. "Este é um momento para celebrar o triunfo pessoal e a capacidade e competência dos que tanto produziram e fizeram pelo bem de Santa Catarina", afirmou o presidente do Sistema FIESC, Alcantaro Corrêa.

Cinco empresários foram condecorados com a Ordem do Mérito Industrial de Santa Catarina: Ingo Fischer, Jair Philippi, Rolf Buddemeyer, Rui Hülse e Sérgio Rodrigues Alves. Neste ano, a Ordem do Mérito Industrial da CNI, mais alta condecoração da indústria nacional, foi entregue a Francisco Amaury Olsen. Falando em nome de todos os homenageados, Olsen declarou que a condecoração "representa o coroamento da minha carreira de executivo". Olsen iniciou na Tigre aos 20 anos de idade como auxiliar de escritório, em 1995 assumiu a presidência da companhia e hoje integra o conselho de administração. Ele falou que as empresas brasileiras precisam se fortalecer e se tornar multinacionais.

O Mérito Sindical de Santa Catarina foi entregue ao Sindicato das Indústrias de Serrarias, Carpintarias e Tanoarias de Lages, com 50 anos de filiação, contemplado na categoria diamante; o Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem de São Bento do Sul, com 40 anos (categoria ouro); os sindicatos da Indústria de Panificação e Confeitaria de Joinville, da Indústria do Vestuário de Criciúma e das Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado de Santa Catarina, com 30 anos (categoria prata), além do Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de Tubarão, que completa 25 anos de filiação à FIESC (categoria bronze).


PERFIL DOS HOMENAGEADOS

Ingo Fischer

É fundador e presidente da empresa Irmãos Fischer, que produz eletrodomésticos, equipamentos para construção civil e bicicletas. Além de administrar a empresa, Ingo é vice-presidente da Associação Empresarial de Brusque (Acibr), e vice-presidente para assuntos estratégicos da FIESC. Atua também como presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Brusque, do qual foi um dos fundadores.

Jair Philippi

O empresário Jair Philippi criou sua primeira empresa, no ramo madeireiro, em 1961. Nos anos seguintes, fundou mais de 15 empresas em Santa Catarina, Paraná e Paraguai, nos mais diversos ramos como produção de madeira, construção civil, construção de pré-moldados, postos de combustíveis e produção de soja. Philippi também foi vereador e prefeito de Bom Retiro entre 1963 e 1976. Durante os mandatos deu atenção especial aos setores
madeireiro e agrícola, além da infra-estrutura de estradas e pontes no interior do município, contribuindo com o desenvolvimento local e regional.

Rolf Buddemeyer

Rolf Buddemeyer ingressou na empresa familiar Indústria Têxtil Buddemeyer de São Bento do Sul em 1984. Em 1985, na busca por um novo posicionamento da empresa no mercado, Rolf promoveu mudanças na gestão que tornaram a companhia uma das mais importantes do segmento. O empresário também presidiu a Associação Empresarial de São Bento do Sul entre os anos de 1987 e 1991, foi diretor de operações do Badesc e diretor tesoureiro da Facisc.

Ruy Hülse

Nascido em Criciúma, Ruy Hülse sempre esteve à frente das questões relacionadas à mineração. Em 1950 foi gerente industrial da Companhia Brasileira Carbonífera de Araranguá. Entre 1971 e 1991 foi diretor da Cecrisa (Cerâmica Criciúma) e hoje é presidente do Sindicato da Indústria da Extração do Carvão do Estado de Santa Catarina (Siecesc). Ainda nesta área incentivou a produção das obras "A História do Carvão de Santa Catarina", além da série "Som e Imagem do Carvão Mineral". Hülse também foi deputado estadual em três legislaturas, presidiu a Assembléia Legislativa de Santa Catarina por duas vezes e atuou como prefeito de Criciúma em 1966. Em 1968, criou a Fundação Educacional de Criciúma (Fucri), que deu origem a atual Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina (Unesc).

Sérgio Rodrigues Alves

Sérgio Rodrigues Alves é formado em administração e direito. Já trabalhou em empresas como a Fiação São Bento, que presidiu por três anos, a Companhia Fabril Lepper e a Alfitex. Recentemente foi secretário de estado da Fazenda e atualmente preside a Celesc Distribuição. Alves também já presidiu a Associação Empresarial de Joinville (Acij), além de realizar palestras e seminários em áreas como processamento de dados, mercado de capitais, administração e economia.

ORDEM DO MÉRITO INDUSTRIAL DA CNI

Francisco Amaury Olsen

Nascido em São Bento do Sul, Francisco Amaury Olsen iniciou sua carreira na Tigre aos 20 anos de idade como auxiliar de escritório. Na empresa, também foi assessor da direção e diretor industrial. Em 1995 assumiu a presidência da companhia e hoje integra o conselho de administração. A profissionalização da gestão, o crescimento e a internacionalização da empresa foram os marcos de sua gestão. Hoje, a Tigre está presente em 10 países com 18 fábricas localizadas na Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Estados Unidos, Paraguai, Peru e Uruguai. O grupo tem mais de 5,5 mil funcionários.

Fonte: FIESC

Jornalista Responsável pela publicação da matéria no site do Guia Têxtil : Valquíria Brueckheimer - RT SC 02676-JP
 
Talvez você também queira ler:
Sinditêxtil-SP apresenta curso para projetos de inovação tecnológica
Palestras gratuitas na Semana da Indústria do SENAI em Brusque
4º Modavil leva informações sobre negócios da moda de Caruaru
FMF 2009 une moda e cultura
Pomerode recebe Ronaldo Fraga para estudos em Moda e Design
ABIT recebe fórum para o setor têxtil
Automatisa expõe em evento da indústria calçadista
37º Encontro da moda feminina acontece em São Paulo
Abertura oficial do CNTT e Tecnotêxtil Brasil em São Paulo debate o papel do setor têxtil no País
GATABAKANA e Nathália Dill no Donna Fashion Iguatemi
Dalila Têxtil e Ronaldo Silvestre no Dragão Fashion 2009
Newcolor presente no Dragão Fashion 2009
Tavex Corporation participa de conferência sobre desenvolvimento sustentável
Criciúma terá palestra da estilista Renata Miranda nesta quinta (dia 2)
Dalutex apoia o Senac Moda Informação 2010
< Anterior   Próximo >